Bizarro

Dói tanto em mim a dor da tua solidão, Dói tanto, que se, para ti, Tomasses outra pessoa qualquer, Através dela, sentiria que estamos juntos numa perfeita comunhão.   Como gêmeos que habitam o mesmo corpo Ou entidade que incorpora alguém, através dela, moveria meu ser E sentiria que tu me possuis também.     …

Continue lendo Bizarro

Olhos de Paisagem

Com seus cílios pinto Uma paisagem atemporal, estou me esvaindo por seus rios, estou sendo arrastada por sua correnteza, Estou sucumbindo. Sobre as árvores rostos observam curiosos E impassíveis minha queda. Nenhum ombro me ampara. Pensam que flutuo na torrente, Que, à superfície, se assemelha A um lago plácido. Mas,submerso, um turbilhão retorce minhas entranhas. …

Continue lendo Olhos de Paisagem

Poesia

Até quando tudo será um pedaço de outra coisa? Até quando velaremos fragmentos? Cacos, puzzles inacabados e reticências? Histórias sem meio nem final. Tudo será sempre só o início De algo que poderia ter sido? Uma promessa? Uma esperança? O Nada Ou pior que o nada: Sugestões de coisas diversas do que são na verdade. …

Continue lendo Poesia

Mulher dormindo

Na noite calada, quando o silêncio visita as moradas, um ladrão invadiu o sossego do meu sono. Depôs seus bens ao chão. Ajoelhou-se sobre a criança, que volto a ser, quando durmo. Desnudou meu sono, sem se importar em violar-me os olhos puros. Num susto, acordo, mas já foge longe meu ladrão de sonhos.

“Isso é só o fim”

* In memoriam das crianças assassinadas em Sabra e Chatila   Quando atos ignóbeis são perpetrados inda É mais abominável que o mundo não pare, É mais infame que tudo não se acabe, que as vozes não se calem E que não voltemos todos Cabisbaixos ao barro do qual fomos forjados. Todos os sons do …

Continue lendo “Isso é só o fim”

Em memória das crianças assassinadas em Sabra e Chatila

Em 2019 ainda não consigo escrever sobre isso, ainda sou fraca. Ontem tentei criar um poema em memória das crianças assassinadas em Sabra e Chatila, mas isso foi demais para mim. Por isso, cito o discurso de Ivan Karamázov, (personagem do romance Os irmãos Karamázov, de Fiódor Dostoiévski)*, sobre o sofrimento das crianças. Uma, especificamente, …

Continue lendo Em memória das crianças assassinadas em Sabra e Chatila