Amoras nos muros

A meu primo Marcelo Balberde Boccuzzi Como é difícil colher amoras! — É muito perigoso! Há pontas de cacos de vidro nos muros os quais só alguns podem pular. Só eles podem subir na árvore e alcançar seus frutos maduros. O sangue do crime nas mãos rubras de amoras! Ah! Quem dera ser maior e …

Continue lendo Amoras nos muros

Perdão, padre, porque pequei!

_Perdão, padre, porque pequei! Tive um sentimento vergonhoso, não consigo contar. _O que foi, minha filha? Deus é misericordioso. _Tive innnvejjaa. _O quê? Inveja? _Sim, inveja. _De quem? _Da cantineira de minha escola. _Mas por quê? _Porque ela sabe virar panquecas no ar... _Só isso? _Não, também tive inveja Das moças que dormem... _Como? _Sim …

Continue lendo Perdão, padre, porque pequei!

Na Palestina: O velho, a árvore, o ônibus

À Abd Al-Hasib Atta Zaloum Sobre o solo, jaz a carcaça do que um dia fora um ônibus. Hoje, tornou-se abrigo do velho sem lar. As estrelas no céu velam por eles à noite. O frio passa pela vidraça estilhaçada, Vem sorrateiro lhes acompanhar. Assim que ficou pronta, sua antiga morada foi demolida; sua terra, …

Continue lendo Na Palestina: O velho, a árvore, o ônibus