Olhos de Paisagem

Com seus cílios pinto Uma paisagem atemporal, estou me esvaindo por seus rios, estou sendo arrastada por sua correnteza, Estou sucumbindo. Sobre as árvores rostos observam curiosos E impassíveis minha queda. Nenhum ombro me ampara. Pensam que flutuo na torrente, Que, à superfície, se assemelha A um lago plácido. Mas,submerso, um turbilhão retorce minhas entranhas. …

Continue lendo Olhos de Paisagem

Poesia

Até quando tudo será um pedaço de outra coisa? Até quando velaremos fragmentos? Cacos, puzzles inacabados e reticências? Histórias sem meio nem final. Tudo será sempre só o início De algo que poderia ter sido? Uma promessa? Uma esperança? O Nada Ou pior que o nada: Sugestões de coisas diversas do que são na verdade. …

Continue lendo Poesia