Percy B. SHELLEY (1792-1822)

The Flower That Smiles Today The flower that smiles today Tomorrow dies, All that we wish to stay Tempts and then flies, What is this world’s delight? Lightning, that mocks the night, Brief even as bright. Virtue, how frail it is! Friendship, how rare! Love, how it sells poor bliss For proud despair! But these …

Continue lendo Percy B. SHELLEY (1792-1822)

Se se morre de amor!

 Meere und Berge und Horizonte zwischen den Liebenden - aber die Seelen versetzen sích aus dem staubigen Kerker und treffen sich im Paradiese der Liebe. Schiller, Die Rüuber Se se morre de amor! — Não, não se morre, Quando é fascinação que nos surpreende De ruidoso sarau entre os festejos; Quando luzes, calor, orquestra e …

Continue lendo Se se morre de amor!

É noite

De longe vem o som Das pequenas criaturas da noite, meus irmãos. Aos ouvidos chega com muito esforço O canto sombrio de um pássaro Que sai de seu repouso. Solitários um sapo e um grilo conversam, enquanto dormem seus iguais. Luzes ao longe parecem piscar, Mas é só o vento que balança as árvores que …

Continue lendo É noite

Olhos de Paisagem

Com seus cílios pinto Uma paisagem atemporal, estou me esvaindo por seus rios, estou sendo arrastada por sua correnteza, Estou sucumbindo. Sobre as árvores rostos observam curiosos E impassíveis minha queda. Nenhum ombro me ampara. Pensam que flutuo na torrente, Que, à superfície, se assemelha A um lago plácido. Mas,submerso, um turbilhão retorce minhas entranhas. …

Continue lendo Olhos de Paisagem

Mulher dormindo

Na noite calada, quando o silêncio visita as moradas, um ladrão invadiu o sossego do meu sono. Depôs seus bens ao chão. Ajoelhou-se sobre a criança, que volto a ser, quando durmo. Desnudou meu sono, sem se importar em violar-me os olhos puros. Num susto, acordo, mas já foge longe meu ladrão de sonhos.

“Isso é só o fim”

* In memoriam das crianças assassinadas em Sabra e Chatila   Quando atos ignóbeis são perpetrados inda É mais abominável que o mundo não pare, É mais infame que tudo não se acabe, que as vozes não se calem E que não voltemos todos Cabisbaixos ao barro do qual fomos forjados. Todos os sons do …

Continue lendo “Isso é só o fim”