Requerer

Como pedir a uma gota de chuva que se suspenda no ar?

Como pedir, em pleno voo, às asas dos pássaros que parem de bater?

Como pedir ao vento que pare de soprar?

Ou a um rio que pare de correr;

ou às ondas que parem de as pedras açoitar?

Como solicitar a um tigre faminto que não devore sua presa?

Ou requerer a um raio que interrompa seu curso,

para não chamuscar uma árvore indefesa?

Ou pedir ao sol que pare de esquentar?

Como? Como?

Só as rochas podem pedir algo assim…

Se algo se consegue refrear,

É porque não é tão intenso seu pulsar…

Um comentário sobre “Requerer

  1. Pingback: Requerer « Poética de Botequim

Seu comentário será muito bem-vindo

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s