O Nada

Nada se extingue.
Tudo o que há
É um reflexo
Do que já houve.
O que já houve
São ecos ressoando
No presente…
Se aqui ninguém
Seu tinir ouve,
É porque nada,
Na dor de um ser ausente,
Se distingue.
19 de junho de 2007
 
 
Thaís de Godoy