Cantiga de amigo

Arte e amanhã

 

Sem querer, o nosso abrigo

Transformou-se em artimanha

Para eu estar contigo

Ou você estar comigo,

Ainda outro amanhã.

 

Sem querer, essas palavras

Se combinam. Tanto faz

qual verdade lhe apraz,

Definir o exato é vulgar.

 

Sem querer, meu amigo

Deixo que pense que fale

que sinta que é o mais forte.

 

Sem querer, o tempo todo,

Nem podia imaginar:

Que seu anseio era antigo,

Meu eterno e bom amigo!

~ por Thaís de Godoy em 21 nov 2012.

Seu comentário será muito bem-vindo

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: