O Barco Ébrio – Arthur Rimbaud

 Tradução de Ivo Barroso Como descesse ao léo nos Rios impassíveis, Não me sentia mais atado aos sirgadores; Tomaram-nos por alvo os Índios irascíveis, Depois de atá-los nus em postes multicores. Estava indiferente às minhas equipagens, Fossem trigo flamengo ou algodão inglês Quando morreu com a gente a grita dos selvagens, Pelos Rios segui, liberto …

Continue lendo O Barco Ébrio – Arthur Rimbaud