Os homens que odeiam as feministas

De onde vem tanta irritação com as mulheres independentes? IVAN MARTINS Noto que virou moda na imprensa brasileira falar mal das mulheres independentes. Qualquer um que deseje cinco minutos de fama desce o cacete no “feminismo”, entendido como a atitude auto-suficiente das mulheres em relação aos homens. No jornal que eu assino, houve na última …

Continue lendo Os homens que odeiam as feministas

Bem-te-vi

Bem-te-vi, vieste cantar À minha janela e brinco em meus pensamentos: _Por que nunca criaram Outros nomes semelhantes Para te fazer companhia? Para não ficares aí solitário, Passarinho sem irmãos Pelo nome e sobrenome?   Bem-te-vi, tu poderias Ter um amigo bem-te-ouvi E, para uma história se contar, Bem-te-vi; bem-te-toquei; bem-te-provei; E, por fim, bem-te-esqueci.   …

Continue lendo Bem-te-vi

Cavaleiro Negro

  Bravo cavaleiro, em tua armadura prateada, Tu não sabes que tua força não te valerá de nada? Primeiro um velho dragão, Veio a nós cuspindo fogo, para raptar a donzela de nossa antiga morada, Mas, como era feiticeira,  Mudou o monstro terrível  em um monturo de brasa. Depois foi a vez de um feio …

Continue lendo Cavaleiro Negro

Se se morre de amor!

 Meere und Berge und Horizonte zwischen den Liebenden - aber die Seelen versetzen sích aus dem staubigen Kerker und treffen sich im Paradiese der Liebe. Schiller, Die Rüuber Se se morre de amor! — Não, não se morre, Quando é fascinação que nos surpreende De ruidoso sarau entre os festejos; Quando luzes, calor, orquestra e …

Continue lendo Se se morre de amor!

Ainda uma vez — Adeus

Gonçalves Dias I Enfim te vejo! — enfim posso, Curvado a teus pés, dizer-te, Que não cessei de querer-te, Pesar de quanto sofri. Muito penei! Cruas ânsias, Dos teus olhos afastado, Houveram-me acabrunhado A não lembrar-me de ti! II Dum mundo a outro impelido, Derramei os meus lamentos Nas surdas asas dos ventos, Do mar …

Continue lendo Ainda uma vez — Adeus

Somente boas notícias

Adorei este blog! Para quem quiser ser mais feliz, eu recomendo porque ele só traz boas notícias!

SOMENTE BOAS NOTÍCIAS

Há políticos honestos ? Certamente que sim. Mas quem são, e por quais critérios podemos julgar o trabalho de um parlamentar ? Para ajudar os eleitores, surgiu um site com o nome “Ranking dos Políticos”, que tem como objetivo oferecer informação para, de forma objetiva, ajudar as pessoas a votarem melhor, criando um ranking que usa dados públicos de diversas fontes para dar ou tirar pontos dos políticos brasileiros:

http://www.politicos.org.br/

Conheça a ideia e o trabalho deste grupo pelo vídeo abaixo:

Ver o post original

Quando eu morrer – Pauliceia Desvairada

      Mario de Andrade Quando eu morrer quero ficar, Não contem aos meus inimigos, Sepultado em minha cidade, Saudade. Meus pés enterrem na rua Aurora, No Paissandu deixem meu sexo,   Na Lopes Chaves a cabeça Esqueçam. No Pátio do Colégio afundem O meu coração paulistano: Um coração vivo e um defunto Bem …

Continue lendo Quando eu morrer – Pauliceia Desvairada

Maria, Marias

Paisagem Imaginante. Pintura feita em 1941 por Guignard, é uma das emblemáticas composições do artista em que nuvens se fundem a montanhas e igrejas, numa versão de 'mundo flutuante' em que estabelece um diálogo artístico com o Oriente Maria, Maria sem dons nem magias Só uma pobre qualquer Que carece de alegrias, Mas hoje vou …

Continue lendo Maria, Marias

Alegria!?

Aos índios Kaiowás   Quando a “indesejada das gentes” Passa a não ser tão indesejada assim? Há um momento em que o cansaço Vence o entusiasmo e essa entidade Passa a ser almejada até por povos inteiros! Gente como a menina que deveria estudar, trancada no quarto, ao invés de se enforcar. Ou gente que …

Continue lendo Alegria!?

Fábula

          As sobras, que o fazendeiro Atirava à vara esfomeada, Eram tão comedidas, Que um dia os leitõezinhos fugiram. Embrenharam-se na mata atrás Dos aromas de fartas especiarias: Trufas, cogumelos e ervas finas. Porém, tudo estava desolado. Nada restara sobre a terra devastada. Só havia o frio e o uivo carniceiro …

Continue lendo Fábula

Augusto dos Anjos

A louca A Dias Paredes Quando ela passa: - a veste desgrenhada, O cabelo revolto em desalinho, No seu olhar feroz eu adivinho O mistério da dor que a traz penada. Moça, tão moça e já desventurada; Da desdita ferida pelo espinho, Vai morta em vida assim pelo caminho, No sudário de mágoa sepultada. Eu …

Continue lendo Augusto dos Anjos

É Noite novamente

Futurismo, Giacomo Balla, Poste e Iluminação, 1909 Na mesma janela, Agora à luz da lua embaçada, Ouço os mesmos seres noturnos, Meus companheiros. A memória da moça esmagada Contra o poste aqui enfrente Vem perturbar minha calma. As ondas dos gritos aflitos Ecoam no infinito. Como se aquele momento Continuasse existindo. Disseram-me que o tempo …

Continue lendo É Noite novamente

Millôr para a Academia Brasileira de Letras

Sobre o Ambiente

Votamos em Millôr Fernandes!

Millôr escreveu e publicou milhares de toneladas de textos, incríveis e infernais textos, usando uma máquina datilográfica. Um gênio pré-histórico sem igual, sobretudo por sua eterna atualidade. Data vênia, aliás, máxima vênia, respeitando a sensibilidade dos mais pudicos (que não devem prosseguir lendo), selecionamos um de seus escritos mais memoráveis, sua tese de doutorado para aplicar xingamentos no momento certo. Para vocês, segue o “FODA-SE“, autoria do maior filósofo carioca de todos os tempos.

“O nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional a quantidade de foda-se! que ela fala. Existe algo mais libertário do que o conceito do foda-se!? O foda-se! aumenta minha autoestima, me torna uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Me liberta.

Não quer sair comigo? Então, foda-se!

─ Vai querer decidir essa merda sozinho(a) mesmo? Então, foda-se!

O direito ao “foda-se!”…

Ver o post original 597 mais palavras