É Noite novamente

Futurismo, Giacomo Balla, Poste e Iluminação, 1909 Na mesma janela, Agora à luz da lua embaçada, Ouço os mesmos seres noturnos, Meus companheiros. A memória da moça esmagada Contra o poste aqui enfrente Vem perturbar minha calma. As ondas dos gritos aflitos Ecoam no infinito. Como se aquele momento Continuasse existindo. Disseram-me que o tempo …

Continue lendo É Noite novamente