Poesia II

em sonhos, o tempo fica suspenso só para nós

em sonhos, ouço toda tua biografia

cada suspiro de saudade de dor de alegria

ouço o cair de cada gota de pranto ou de suor

cada riso

cada perda que te fez sofrer

todos os momentos dos quais

não fiz parte e dos quais fiz também…

todos esses passos sobre a terra

eu gravaria na pedra muito bem,

para que as espumas do mar selvagem

jamais os apagassem,

(o sentido profundo de cada passo

só seria entendido por nós

numa língua única)

eu os transformaria em poesia

se o tempo para isto não levasse o mesmo tempo de viver,

Seu comentário será muito bem-vindo

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s