Esta noite ainda não acabou

O espectro da moça esmagada Não me persegue mais. Agora é você, meu fantasma, A me obsedar o sono.       É o resquício da ira, São as Fúrias a corroer meu crânio. Das paixões todas Essa é a mais voraz. Seu fogo custa a se esgotar. Mas como entender que em um mesmo …

Continue lendo Esta noite ainda não acabou

É Noite novamente

Futurismo, Giacomo Balla, Poste e Iluminação, 1909 Na mesma janela, Agora à luz da lua embaçada, Ouço os mesmos seres noturnos, Meus companheiros. A memória da moça esmagada Contra o poste aqui enfrente Vem perturbar minha calma. As ondas dos gritos aflitos Ecoam no infinito. Como se aquele momento Continuasse existindo. Disseram-me que o tempo …

Continue lendo É Noite novamente

É noite

De longe vem o som Das pequenas criaturas da noite, meus irmãos. Aos ouvidos chega com muito esforço O canto sombrio de um pássaro Que sai de seu repouso. Solitários um sapo e um grilo conversam, enquanto dormem seus iguais. Luzes ao longe parecem piscar, Mas é só o vento que balança as árvores que …

Continue lendo É noite