O rosto de uma mulher

Adonis Eu morava no rosto de uma mulher que mora numa onda. A maré cheia trouxe-a até à praia cujo porto desapareceu nas suas conchas . Eu morava no rosto de uma mulher que me assassinou, que no meu sangue de navegador até ao fim da loucura amorosa quer ser um farol, que se apaga.