Revelação de segredos da “guerra contra o terror” provam: militares americanos são psicopatas

“Hunter Killer – Como os drones revolucionaram a guerra contra o terror’ e “Drone Papers” revelam psicopatia no exército americano

 

Apesar do título, que mais parece uma propaganda do exército  norte-americano (já que na realidade a guerra é contra inocentes civis e não contra o “terror”) o livro HUNTER KILLER – Como os drones revolucionaram a guerra contra o terror escrito por Kevin Maurer e T. Mark McCurley, revela segredos monstruosos relacionados aos ataques por drones.

Oficiais mal preparados brincam com a vida de seres humanos como se estivessem jogando videogame.

Para se ter uma ideia da incompetência dos oficiais que “pilotam” os drones, eles são chamados pelos próprios colegas de os “losers” (perdedores) da Força Aérea, pois são os únicos na área que, imediatamente após terminarem o treinamento, entram em combate.

A seguir resenha do livro no site da editora:

“Em uma narrativa eletrizante, um dos primeiros pilotos a transformar os drones em máquinas de guerra oferece uma visão fundamental sobre a vida na comunidade de aeronaves remotamente pilotadas. Antes de se juntar à equipe do Predator, o tenente-coronel Mark McCurley associava a ideia de drones a aviões de controle remoto. Não poderia estar mais enganado: com seus novecentos quilos, são máquinas complexas, que representam um desafio para os novatos – o próprio McCurley teve de reaprender a voar sem asas.
Narrando sua trajetória de aspirante a piloto da Força Aérea a autor do primeiro manual do Predator, o tentente-coronel também revela alguns dos momentos mais marcantes – e secretos – da história da aeronave, como a morte do terrorista Anwar al-Awlaki e a participação no resgate de Marcus Luttrell, cuja história inspirou o filme O grande herói.
Mesmo distante dos campos de guerra, os combates eram impactantes para McCurley, porque, diferentemente dos pilotos de caça, ele era capaz de enxergar de perto cada uma de suas vítimas: “Eu estava quase chegando em casa quando senti o baque. Parado num sinal de trânsito, me dei conta de que tinha tirado uma vida. Não havia como o Facilitador me ferir. Eu tinha todo o poder. Além do mais, ele não estava atirando contra tropas americanas naquele momento. Falava ao telefone com a mulher. Que pecado maior eu poderia cometer?”.

Neste relato inédito, McCurley mostra ainda a evolução da frota de Predators: com mais de novecentas missões ao redor do mundo e superando as 17 mil horas de combate, os drones mudaram para sempre a história da guerra.”

O livro foi lançado nos EUA em outubro de 2015, dois dias depois o jornalista Glen Greenwald revelou na internet documentos chamados de Drone Papers com informações chocantes que revelam a monstruosidade das ações do exército americano possibilitadas por seu novo brinquedinho de matar. Na verdade, os “ataques cirúrgicos” são uma carnificina desumana contra a população civil morta em 87% dos casos, essas execuções são chamadas friamente de “danos colaterais”. E os “prêmios”, como eles cruelmente chamam os supostos suspeitos, são “escolhidos” sem nenhuma prova de que sejam realmente culpados, baseando-se em informações vagas como e-mails e grampos em celulares. Em certa ocasião, por exemplo, eles assassinaram um pastor que viva numa aldeia afegã pelo simples fato de ele ser alto e usar barba como Osama Bin Laden.

Os vídeos das ações dos drones, chamados de Pred Porn (Pornografia do Predador), são populares entre os militares, que sentem prazer em assistir em alta resolução a morte lenta de seus alvos, como se assistissem a um filminho hollywoodiano.

Drone: O Monstro Cego

Drone: O Monstro Cego

 

 

Seu comentário será muito bem-vindo

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s