Antífona

Cruz e Sousa   Ó Formas alvas, brancas, Formas claras De luares, de neves, de neblinas! Ó Formas vagas, fluidas, cristalinas... Incensos dos turíbulos das aras Formas do Amor, constelarmante puras, De Virgens e de Santas vaporosas... Brilhos errantes, mádidas frescuras E dolências de lírios e de rosas ... Indefiníveis músicas supremas, Harmonias da Cor …

Continue lendo Antífona

Cruz e Sousa, Mallarmé e Stefan George

Para Roger Bastide, Cruz e Sousa, Mallarmé e Stefan George formam a tríade suprema do movimento simbolista universal. Bastide, porém, dá visível  preeminência nessa tríade ao poeta dos Últimos Sonetos. Os críticos Ventura Garcia Caldeiron, Juan Más y Pi e Júlio Noé afirmam que Cruz e Sousa é um dos maiores poetas do mundo em qualquer …

Continue lendo Cruz e Sousa, Mallarmé e Stefan George

Litania dos pobres

Os miseráveis, os rotos São as flores dos esgotos. São espectros implacáveis Os rotos, os miseráveis. São prantos negros de furnas Caladas, mudas, soturnas. São os grandes visionários Dos abismos tumultuários. As sombras das sombras mortas, Cegos, a tatear nas portas. Procurando o céu, aflitos E varando o céu de gritos. Faróis a noite apagados …

Continue lendo Litania dos pobres