Não sei se é amor que tens, ou amor que finges,

Ricardo Reis   Não sei se é amor que tens, ou amor que finges, O que me dás. Dás-mo. Tanto me basta. Já que o não sou por tempo, Seja eu jovem por erro. Pouco os deuses nos dão, e o pouco é falso. Porém, se o dão, falso que seja, a dadiva É verdadeira. …

Continue lendo Não sei se é amor que tens, ou amor que finges,

Saiba o que acontece em seu cérebro quando você lê poesia

Por Jennifer Delgado Suárez, psicóloga Poesia são dardos em forma de palavras que vão direto para a parte mais emocional do nosso cérebro. Há poemas que despertam um tsunami emotivo real e nos arrepiam, como “A Primeira Elegia”, de Rainer Maria Rilke, cujos versos dizem: “A beleza é nada mais que o princípio do terrível, Aquilo …

Continue lendo Saiba o que acontece em seu cérebro quando você lê poesia

4 motivos científicos para começar a escrever mais – Galileu | Life Hacks

1 - Escrever pode literalmente te curar Em pesquisa conduzida pela Universidade de Auckland, na Nova Zelândia, um grupo de pessoas entre os 64 e 97 anos escreveu sobre seus problemas durante três dias seguidos. Duas semanas depois, uma biópsia foi feita em seus braços e um acompanhamento foi feito durante 21 dias: 76% daqueles …

Continue lendo 4 motivos científicos para começar a escrever mais – Galileu | Life Hacks

Inutilmente Parecemos Grandes

O mar jaz; gemem em segredo os ventos Em Eolo cativos; Só com as pontas do tridente as vastas Águas franze Netuno; E a praia é alva e cheia de pequenos Brilhos sob o sol claro. Inutilmente parecemos grandes. Nada, no alheio mundo, Nossa vista grandeza reconhece Ou com razão nos serve. Se aqui de …

Continue lendo Inutilmente Parecemos Grandes

Os dois reis e os dois labirintos

OS DOIS REIS E OS DOIS LABIRINTOS (Jorge Luis Borges)   Contam os homens dignos de fé (mas Alá sabe mais) que nos primeiros tempos houve um rei das ilhas da Babilônia que reuniu seus arquitetos e magos e os mandou construir um labirinto tão desconcertante e sutil, que os varões mais prudentes não se …

Continue lendo Os dois reis e os dois labirintos

Congresso Internacional do Medo

Congresso Internacional do Medo Carlos Drummond de Andrade   Provisoriamente não cantaremos o amor, que se refugiou mais abaixo dos subterrâneos. Cantaremos o medo, que esteriliza os abraços, não cantaremos o ódio, porque este não existe, existe apenas o medo, nosso pai e nosso companheiro, o medo grande dos sertões, dos mares, dos desertos, o …

Continue lendo Congresso Internacional do Medo