Nossos pais

Belchior

Não quero lhe falar meu grande amor
Das coisas que aprendi nos discos
Quero lhe contar como eu vivi
E tudo o que aconteceu comigo
Viver é melhor que sonhar
Eu sei que o amor é uma coisa boa
Mas também sei que qualquer canto
É menor do que a vida
De qualquer pessoa
Por isso cuidado meu bem
Há perigo na esquina
Eles venceram
E o sinal está fechado pra nós
Que somos jovens

Para abraçar seu irmão
E beijar sua menina na rua
É que se fez o seu braço
O seu lábio e a sua voz
Você me pergunta pela minha paixão
Digo que estou encantada
Com uma nova invenção
Eu vou ficar nesta cidade
Não vou voltar pro sertão
Pois vejo vir vindo no vento
Cheiro de nova estação
Eu sei de tudo na ferida viva
Do meu coração
Já faz tempo eu vi você na rua
Cabelo ao vento
Gente jovem reunida
Na parede da memória
Essa lembrança
É o quadro que dói mais
Minha dor é perceber
Que apesar de termos
Feito tudo o que fizemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Como os nossos pais
Nossos ídolos ainda são os mesmos
E as aparências
Não enganam não
Você diz que depois deles
Não apareceu mais ninguém
Você pode até dizer
Que eu ‘tô por fora
Ou então que eu ‘tô inventando
Mas é você que ama o passado
E que não vê
É você que ama o passado
E que não vê
Que o novo sempre vem
Hoje eu sei que quem me deu a ideia
De uma nova consciência e juventude
‘Tá em casa
Guardado por Deus
Contando vil metal
Minha dor é perceber
Que apesar de termos feito tudo, tudo
Tudo o que fizemos
Nós ainda somos os mesmos
E vivemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos
Ainda somos os mesmos
E vivemos como os nossos pais.

Compositores: Antonio Belchior
Resultado de imagem para belchior

Monstro Invisível

O Rappa

Monstro invisível que comanda a horda
Arrasando tudo o que é de praxe
Eu tô laje acima do cerol que trás a vida pra baixo
Brilhante ideia de uma cabeça nervosa
Grafitando outro muro de raiva
Eles já sabiam, mas deixaram a sina guiar a sorte.

Vejo a minha história com a sua comungar
Vejo a história, ela comungar
Vejo a minha história com a sua comungar

Ouça o lado sujo cria do descaso
Alimentando folhas em branco e preto
Outra epidemia desanima quem convive com medo
Botões, atalhos amplificam a distância
E a preguiça de estar lado a lado veste a armadura
Esse é o poder solitário.

Vejo a minha história com a sua comungar
Vejo a história, ela comungar
Vejo a minha história com a sua comungar
Vejo a história, ela comungar.

Colours

Estou apaixonada por essa música de um obscuro grupo garimpado no youtube; nem um videoclipe tem. Achei própria para ouvir e relaxar numa sexta à noite.

Graffiti6

When I was feeling it so hard
I couldn’t see through my scars
You led the way through the dark
My eyes were opened with love

I’m seeing colours flowing through my mind
Colours, Colours
And I want to walk in your water
And I want to walk in your water

When I was feeling it so hard
I couldn’t see through my scars

Now I’m seeing colours flowing through my mind
Colours, Colours

I’m seeing colours,
Colours, colours, colours, colours, colours, colours

Eu te amo

Chico Buarque de Hollanda

Ah, se já perdemos a noção da hora
Se juntos já jogamos tudo fora
Me conta agora como hei de partir

Se, ao te conhecer, dei pra sonhar, fiz tantos desvarios
Rompi com o mundo, queimei meus navios
Me diz pra onde é que inda posso ir

Se nós, nas travessuras das noites eternas
Já confundimos tanto as nossas pernas
Diz com que pernas eu devo seguir

Se entornaste a nossa sorte pelo chão
Se na bagunça do teu coração
Meu sangue errou de veia e se perdeu

Como, se na desordem do armário embutido
Meu paletó enlaça o teu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu

Como, se nos amamos feito dois pagãos
Teus seios inda estão nas minhas mãos
Me explica com que cara eu vou sair

Não, acho que estás se fazendo de tonta
Te dei meus olhos pra tomares conta
Agora conta como hei de partir

Imagem relacionada

Fase Cromática

Shadow

Shadow, take me down
Shadow, take me down with you

For the last time
For the last time
For the last time
For the last time

You’re in the water
I’m standing on the shore
Still thinking that I hear your voice
Can you hear me?
Can you hear me?
Can you hear me?
Can you hear me?

For the last time
For the last time
For the last time
For the last time

At night I’m driving in your car
Pretending that we’ll leave this town
We’re watching all the street lights fade
And now you’re just a stranger’s dream
I took your picture from the frame
And now you’re nothing like you seem
Your shadow fell like last night’s rain

 

Alegria!

Alegria

Não se desesperem com as PECs no meio do caminho,

com a alta do dólar,

com a venda do Brasil,

com a perda dos salários, com a falta de trabalho

com a corrupção, com os privilégios dos políticos, dos ricos, dos magistrados

com a morte da poesia

com a vitória de um imbecil.

Não se desesperem se disserem que vocês devem ser tratadas como mercadoria,

Ou se um dia perceberem que o céu não é mais anil.

Não se desesperem com a agonia e o extermínio das crianças na Síria.

Apesar de tudo e contra tudo: ALEGRIA.

The Ballad of a Thin Man

The Ballad of a Thin Man

Bob Dylan

You walk into the room
With your pencil in your hand
You see somebody naked
And you say, “Who is that man ?”
You try so hard
But you don’t understand
Just what you’ll say
When you get home.

Because something is happening here
But you don’t know what it is
Do you, Mister Jones ?

You raise up your head
And you ask, “Is this where it is ?”
And somebody points to you and says
“It’s his”
And you says, “What’s mine ?”
And somebody else says, “Well, what is ?”
And you say, “Oh my God
Am I here all alone ?”

But something is happening here
But you don’t know what it is
Do you, Mister Jones ?

You hand in your ticket
And you go watch the geek
Who immediately walks up to you
When he hears you speak
And says, “How does it feel
To be such a freak ?”
And you say, “Impossible”
As he hands you a bone.

And something is happening here
But you don’t know what it is
Do you, Mister Jones ?

You have many contacts
Among the lumberjacks
To get you facts
When someone attacks your imagination
But nobody has any respect
Anyway they already expect you
To all give a check
To tax-deductible charity organizations.
You’ve been with the professors
And they’ve all liked your looks
With great lawyers you have
Discussed lepers and crooks
You’ve been through all of
F. Scott Fitzgerald’s books
You’re very well read
It’s well known.

But something is happening here
And you don’t know what it is
Do you, Mister Jones ?

Well, the sword swallower, he comes up to you
And then he kneels
He crosses himself
And then he clicks his high heels
And without further notice
He asks you how it feels
And he says, “Here is your throat back
Thanks for the loan”.

And you know something is happening
But you don’t know what it is
Do you, Mister Jones ?

Now you see this one-eyed midget
Shouting the word “NOW”
And you say, “For what reason ?”
And he says, “How ?”
And you say, “What does this mean ?”
And he screams back, “You’re a cow
Give me some milk
Or else go home”.

Because something is happening
But you don’t know what it is
Do you, Mister Jones ?

Well, you walk into the room
Like a camel and then you frown
You put your eyes in your pocket
And your nose on the ground
There ought to be a law
Against you comin’ around
You should be made
To wear earphones.

But something is happening
And you don’t know what it is
Do you, Mister Jones?

 

Só posso chamar a todos que não consideram a obra de Dylan merecedora de um Prêmio Nobel de Literatura de Senhores Jones. A questão agora parece ser outra: se Ele vai aceitar ou não o prêmio, já que os organizadores desse evento não conseguem entrar em contato com ele. A uns e outros, Bob Dylan tem ignorado igualmente mantendo sua atitude blasé. Não fez nenhum pronunciamento sobre sua premiação. Talvez a melhor atitude a ser tomada diante de tanta controvérsia seja o silêncio.

Velvet Goldmine-David Bowie

Velvet Goldmine-David Bowie

 

You got crazy legs, you got amazing head
You got rings on your fingers and your hair’s hot red
You got wit from my tongue, name on the sun
I gotcha going to my breast
Cause you’re the only one, who uses school to pleasure

You make me act real gone, you make me trawl along
I had to ravish your capsule, suck you dry
Feel the teeth in your bone, heal ya head with my own
Why if I don’t have you home, we’ll have to fight alone
Hang all together

Velvet Goldmine, you stroke me like the rain
Snake it, take it, panther princess you must stay
Velvet Goldmine, naked on your chain
I’ll be your king volcano right for you again and again
My Velvet Goldmine

You’re my taste, my trip, I’ll be your master zip
I’ll suck your hair for kicks, you’ll make me jump to my feet
So you’ll give me your hand, give me your sound
Let my sea wash your face, I’m falling, I can’t stand
Oooh! Put your mink on

Velvet Goldmine, you stroke me like the rain
Snake it, take it, panther princess you must stay
Velvet Goldmine, naked on your chain
I’ll be your king volcano right for you again and again
My Velvet Goldmine

Oh
Shoot you down, bang bang

Velvet Goldmine, you stroke me like the rain
Snake it, take it, panther princess you must stay
Velvet Goldmine, naked on your chain
I’ll be your king volcano right for you again and again
My Velvet Goldmine

Velvet Goldmine,
Velvet Goldmine,
My Velvet Goldmine
Velvet Goldmine