Vampiro de Charles Baudelaire

VAMPIRO Tu que, como uma punhalada Invadiste meu coração triste, Tu que, forte como manada De demônios, louca surgiste, Para no espírito humilhado Encontrar o leito ao ascendente, - Infame a que eu estou atado Tal como o forçado à corrente, Como a seu jogo o jogador, Como à garrafa o beberrão, Como aos vermes …

Continue lendo Vampiro de Charles Baudelaire