SONETO DO AMOR TOTAL

Vinicius de Moraes, Rio de Janeiro, 1951 Amo-te tanto, meu amor... não cante O humano coração com mais verdade... Amo-te como amigo e como amante Numa sempre diversa realidade. Amo-te afim, de um calmo amor prestante, E te amo além, presente na saudade. Amo-te, enfim, com grande liberdade Dentro da eternidade e a cada instante. …

Continue lendo SONETO DO AMOR TOTAL