Dama

Stéphane Mallarmé Soneto Dama sem tanto ardor embora ainda flamante A rosa que cruel ou lacerada e lassa Se deveste do alvor que a púrpura deslaça Para em sua carne ouvir o choro do diamante   Sim sem crises de orvalho antes em doce alento Nem brisa o fragor do céu leve ao fracasso Com …

Continue lendo Dama