Meu anjo de Natal

Um sonho que virou poesia

Pedi em oração 

A meu anjo da guarda
Meu fíel irmão.

Que aos corações distantes
A minha mensagem
Gentilmente entregar.

Presente em sentimento
Um abraço e um sorriso
Em pacote de felicidade
Com fitas de alegria.

E queria o destino
Que encantado momento
Viesse em noite de Natal
Essa benção a ti meu anjo
Foi lhe entregar.

Que tenha noites felizes
Que tenha coragem nas dificuldades
Fraternidade em cada abraço
Amigos para amar
E um coração para completar.

Que sejá feliz
Meu amigo, minha amigaEm abençoado Natal!

Ver o post original

“Nossa luta não é só por democracia, mas por outra civilização”, diz Mujica

Ecologia dos Saberes

“Fomos transformados em uma máquina de consumismo. A acumulação capitalista necessita que compremos, compremos e gastemos e gastemos. Vendem mentiras até que te tiram o último dinheiro. Essa é a nossa cultura e a única saída é a contracultura”, afirmou o ex-presidente do Uruguai.

A reportagem é de  Camilla Hoshino, Carolina Goetten e Gibran Mendes, publicada pelo Jornal Brasil de Fato, 27-07-2016.

Para o senador e ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, o atual contexto político do Brasil e da América Latina, com o avanço das forças de direita, não pode ser visto com desânimo. “Nós aprendemos muito mais com as derrotas do que com as vitórias. É preciso levantar e começar de novo”, declarou Mujica durante o Seminário Democracia na América Latina, que reuniu milhares de pessoas nesta quarta-feira (27) em Curitiba.

Segundo o senador, a democracia está em risco no mundo inteiro…

Ver o post original 807 mais palavras

Três mulheres, de Sylvia Plath, por Rafael Zacca — escamandro

SOBRE A TRADUÇÃO Sylvia Plath (1932-1963) compôs Três mulheres como um livro-poema radiofônico. Nesse sentido, não foi escrito para ser lido individualmente, em silêncio, mas para ser falado. Inclui, em sua própria forma, um desejo comunitário. Trata-se, de fato, de uma comunidade de incomuns. As três Vozes do poema são de mulheres que tomaram rumos […]

via Três mulheres, de Sylvia Plath, por Rafael Zacca — escamandro

John Wieners (1934-2002), por Rafael Mantovani — escamandro

John Wieners (1934 – 2002) foi um poeta estadunidense associado à geração Beat. Nascido numa família de classe média-baixa no Massachusetts, partiu muito jovem para a Costa Oeste e teve uma vida errante por vários anos, participando de comunidades experimentais de poetas, dentre as quais o Black Mountain College. Seu primeiro livro, The Hotel Wentley […]

via John Wieners (1934-2002), por Rafael Mantovani — escamandro