Apenas palavras

As palavras são nada. Em si, carecem de sentidos, se não as escoltar os gestos. Assim o silêncio é louvável a alguns algures. Imprudência fiar-se no verbo, já que quem mente mergulha a todos em fantasia? Sonha que a todos ludibria? Para si, ciladas cria? Mas não ilude plenamente: há uma gota de verdade em …

Continue lendo Apenas palavras