A que está sempre alegre

Charles Baudelaire Teu ar, teu gesto, tua fronte São belos qual bela paisagem; O riso brinca em tua imagem Qual vento fresco no horizonte. A mágoa que te roça os passos Sucumbe à tua mocidade, À tua flama, à claridade Dos teus ombros e dos teus braços. As fulgurantes, vivas cores De tuas vestes indiscretas …

Continue lendo A que está sempre alegre