Leve-me

Não pode fingir que não me conhece?

Que sou uma perdida

que encontrou na noite,

Sem nome

nem endereço

nem passado?

Distante me leve no seu bolso,

Presa aos fios de seu bigode.

Leve-me atada aos seus pelos,

À dobra de seu braço.

Leve-me no lóbulo

de sua orelha.

Lá, vou fazer minha morada

E meu passeio.

Se você me quiser,

Por quanto tempo quiser,

Serei seu recreio…

~ por Thaís de Godoy em 8 nov 2012.

Seu comentário será muito bem-vindo

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: