Nojo

Borges tinha razão

O único sentimento

Que nos resta é o nojo

O nojo de nós mesmos

Jorge Luis Borges, 1945

Jorge Luis Borges, 1945

O nojo do humano

O nojo do logro

O nojo do vício

O nojo do nojo

De não ter pelo que viver

Seu comentário será muito bem-vindo

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s